Rainer Maria Rilke [poemas]

Você já teve a experiência de ser encontrado por um livro? Ou vai dizer que você realmente acha que tem controle de suas escolhas literárias? Vai chamar de coincidência o fato de ter acabado de conhecer um autor, estar andando por ruas de paralelepípedos de uma cidade em que está apenas visitando, encontrar uma pequena livraria no meio do caminho, resolver entrar e se deparar com um outro livro do exato mesmo autor e ainda por cima em uma edição bilíngue, coisa rara de se encontrar, ainda mais se tratando de uma edição bilíngue de um autor de língua alemã? Sem mencionar o fato de você estar se preparando justamente para, daqui a algumas semanas, fazer uma viagem para a Alemanha para aprender a língua?

Sei que essa notícia vai ser difícil. Afinal, você já não tem controle de quase nada na sua vida. Mal mal consegue escolher o momento de ir ao banheiro, ninguém te perguntou se você queria mesmo vir ao mundo e você não pode sequer escolher arriscar sua vida dirigindo sem cinto sem tomar uma multa. Mas é a verdade: são os livros que escolhem seus leitores, não o contrário.

Talvez você tenha um pouco de controle sobre o momento de lê-lo, pois tem meses que encontrei “Rainer Maria Rilke [Poemas]” num cantinho da estante de uma livrariazinha de Parati e só agora – depois de já ter ido e voltado da Alemanha e até ter melhorado um tiquinho meu Deutsch – resolvi atravessá-lo de ponta a ponta.

rilke-and-rodinDizem quem as obras de Rodin influenciaram o trabalho de Rilke, que foi secretário do escultor por alguns anos

 

O livro reúne poemas de várias fases do poeta nascido em Praga, em 1875. Algumas pérolas, como este trecho da Segunda elegia:

“Pois que no sentir nos volatizamos; ai de nós que nos exalamos até a exaustão; e de arder em arder desprendemos aroma cada vez mais fraco.”

E o mais legal é que, por ser uma edição bilíngue, obviamente, traz ao lado a versão original:

“Denn wir, wo fühlen, verflüchtigen; ach wir atmen uns aus und dahin, von Holzglut zu Holzglut geben wir schwächern Geruch.”

Tem tempos já que venho pensando nessa questão de livros bilíngues e acho que o mercado editorial deveria investir mais nesse filão. Se você já tem conhecimentos da língua estrangeira em questão, é uma ótima forma de aprofundá-los. E mesmo que você não tenha, é uma ótima forma de começar a aprender. Penso que era mais ou menos assim que as pessoas de antigamente aprendiam novas línguas. Não tinha esse negócio de Cultura Inglesa não! Duas aulinhas por semana, exercícios de “fill the gaps” e preparatório para FCE! As pessoas liam, se arriscavam em tentativas de traduções e seguiam em frente. Rilke mesmo era fluente em alemão (claro), francês e aprendeu russo por interesse num poeta russo…ok que ele nunca fez “nada” da vida, tendo sempre sido sustentado por mecenas, but still…

Até que tenho encontrado alguns livros bilíngues por aí. A editora Landmark lançou vários nos últimos anos e alguns livros da L&PM, como o “Trilogia da Paixão”, de Goethe, também estão vindo com a versão original, além da tradução. O próprio livro do Rilke faz parte de uma série da Companhia Das Letras de trabalhos de poetas em versão bilíngue, mas ainda existe muito a ser explorado.

Livro rilkeO quê? Rainer Maria Rilke [poemas]

Quando? Essa edição é de 2012

Quem? René Karl Wilhelm Johannn Josef Maria Rilke, passando a assinar, em 1897, como Reiner Maria Rilke

Páginas? 211

Anúncios

3 comentários sobre “Rainer Maria Rilke [poemas]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s